Fala Guarulhos

Seca extrema na Coreia do Norte provoca risco de fome

Por: , 15 de maio de 2019 às 11:06 | Em
  • G1
  • Internacional
  • Notícias
  • Monumentos na Coreia do Norte em imagem de setembro de 2017 — Foto: Renato Alves/Divulgação A Coreia do Norte anunciou que a quantidade de chuvas e nevascas neste ano são […]

    Monumentos na Coreia do Norte em imagem de setembro de 2017 — Foto: Renato Alves/DivulgaçãoMonumentos na Coreia do Norte em imagem de setembro de 2017 — Foto: Renato Alves/Divulgação

    Monumentos na Coreia do Norte em imagem de setembro de 2017 — Foto: Renato Alves/Divulgação

    A Coreia do Norte anunciou que a quantidade de chuvas e nevascas neste ano são as menores em 37 anos. Há poucos dias, a ONU expressou preocupação com a falta de alimentos no país.

    Entre janeiro e o início de maio, a Coreia do Norte registrou apenas 54,4 mm de chuva ou neve, o menor nível desde 1982, indicou a agência KCNA, que cita uma “seca extrema”.

    A Coreia do Norte é objeto de sanções por seus programas nucleares e balísticos e mal consegue alimentar normalmente seus habitantes.

    País já tem problemas com alimentação

    A seca deste ano pode agravar os “problemas de fome, desnutrição e saúde para milhares de crianças e mulheres grávidas ou lactantes”, advertiu a Federação Internacional da Cruz Vermelha.

    De acordo com várias organizações internacionais, como a ONU e o Programa Mundial de Alimentos (PAM), as mudanças meteorológicas, embora pequenas, podem agravar consideravelmente a produção de alimentos do país.

    Quase 10,1 milhões de norte-coreanos – 40% da população – sofrem de desnutrição, de acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o PMA.

    G1