Fala Guarulhos

Irã torna oficial a suspensão de compromissos de acordo nuclear

Por: , 15 de maio de 2019 às 09:40 | Em
  • G1
  • Internacional
  • Notícias
  • Aiatolá Ali Khamenei em cerimônia com trabalhadores iranianos — Foto: Site do líder supremo do Irã / AFP O Irã interrompeu oficialmente o cumprimento de alguns compromissos do acordo nuclear […]

    Aiatolá Ali Khamenei em cerimônia com trabalhadores iranianos — Foto: Site do líder supremo do Irã / AFPAiatolá Ali Khamenei em cerimônia com trabalhadores iranianos — Foto: Site do líder supremo do Irã / AFP

    Aiatolá Ali Khamenei em cerimônia com trabalhadores iranianos — Foto: Site do líder supremo do Irã / AFP

    O Irã interrompeu oficialmente o cumprimento de alguns compromissos do acordo nuclear de 2015 com potências mundiais após determinação do conselho de segurança nacional iraniano, disse uma autoridade da agência de energia atômica do país à agência de notícias Isna, nesta quarta-feira.

    O Irã notificou na semana passada os governos de Reino Unido, China, França, Alemanha e Rússia de sua decisão de suspender parte dos compromissos do acordo nuclear um ano depois de os Estados Unidos se retirarem unilateralmente do pacto e reativarem sanções contra a República Islâmica.

    Conforme o acordo, Teerã tinha permissão de produzir urânio enriquecido até o limite de 300 quilos e de produzir água pesada até o limite de cerca de 130 toneladas. O Irã poderia enviar o excedente para armazenamento ou venda fora do país.

    A autoridade disse que, a partir de agora, o Irã não terá limite para a produção de urânio enriquecido e água pesada.

    Irã quer forçar países a não aceitar ordens dos EUA

    As ações iniciais do Irã ainda não parecem violar o acordo nuclear, mas o país alertou que, a menos que as potências mundiais protejam sua economia das sanções dos EUA dentro de 60 dias, começará a enriquecer urânio em nível mais alto.

    A União Europeia e os ministros das Relações Exteriores de Alemanha, França e Reino Unido disseram que ainda estão comprometidos com o acordo, mas que não aceitarão ultimatos de Teerã.

    O acordo também limita a 3,67% o nível de pureza em que o Irã enriquece urânio, muito menos do que os 90% necessários para armas e bem inferior aos 20% praticados pelos iranianos antes do acordo.

    Na terça-feira, o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse que Teerã não quer guerra com os EUA, apesar das tensões crescentes entre os dois arqui-inimigos decorrentes do desenvolvimento nuclear iraniano e de seu programa de mísseis.

    Khamenei também disse que sua nação não negociará outro acordo nuclear com Washington.

    G1